SEJAM MUITO BEM VINDOS AO LEAN IMMERSION WEEK 2023

É com muita alegria que damos as boas vindas a você que tomou a decisão de acelerar seus resultados, enriquecer seus conhecimentos e aumentar sua rede de contatos.

 

São muitos profissionais envolvidos com o suporte de uma das mais importantes universidades dos Estados Unidos para que essa imersão seja um marco na sua jornada de transformação profissional e pessoal.

 

Para que você se prepare adequadamente para sua viagem, destacamos os principais itens que merecem atenção até o momento de sua chegada à San Diego onde estaremos esperando por você:

 

Passaporte válido

Os Estados Unidos exigem que seu passaporte tenha pelo menos seis meses de validade e seja válido para toda a duração da sua viagem.

Mesmo se você tiver dupla nacionalidade, sempre saia do Brasil com o passaporte brasileiro. Você pode usar o outro na entrada nos Estados Unidos, mas fique atento para as regras de imigração, que podem ser diferentes dependendo da nacionalidade.

Cidadãos italianos e portugueses, por exemplo, não precisam de visto para entrar nos Estados Unidos, mas é necessário preencher, pelo menos 72 horas antes do desembarque, um formulário online avisando da viagem e pagar uma taxa de 14 dólares.

Visto americano

Para brasileiros a turismo, o visto americano precisa ser pedido com antecedência e depois e obtido tem validade de 10 anos. Fique atento com a validade do seu visto, pois no momento há uma fila para marcações.

Caso seu passaporte com o visto válido para os Estados Unidos esteja vencido, viaje com os dois documentos, o vencido, com o visto, e o novo, dentro da validade. Basta entregar os dois documentos para o oficial de imigração. O procedimento é comum e eles estão acostumados.

Certificado de vacinação contra Covid-19

Brasileiros completamente vacinados podem entrar nos EUA, desde que apresentem o Certificado de Vacinação na entrada dos Estados Unidos.

A imigração americana aceita todas as vacinas aprovadas pela OMS, o que inclui todas as vacinas aplicadas no Brasil: Coronavac, AstraZeneca, Pfizer e Janssen.

Exame PCR ou Antígeno realizado 1 dia antes do voo

É necessário apresentar um teste PCR, ou um teste antígeno, com resultado negativo em seu nome, realizado 1 dia antes da viagem. É necessário realizar o teste independente do status de vacinação.

Alguns aeroportos fornecem o serviço de testes do COVID-19 e o resultado sai de 3 a 4 horas. Caso o teste não tenha sido realizado, sugerimos chegar no aeroporto pelo menos 5 horas antes do seu voo.

Referência (Vacinação):

https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/travelers/noncitizens-US-air-travel.html

Referência (Teste):

https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/travelers/testing-international-air-travelers.html

Seguro Viagem

Ao contrário do que ocorre na Europa e em alguns países da América do Sul, o seguro de viagem não é obrigatório para entrar nos Estados Unidos.

Mas é uma péssima ideia viajar sem um, pelo bem da sua segurança financeira e saúde. É que o atendimento médico nos Estados Unidos é um dos mais caros do mundo e questões simples, como uma consulta médica, podem custar milhares de dólares.

Além disso, não só a imigração verá com bons olhos seu seguro de viagem (ainda mais em tempos de Covid), como sua saúde e segurança agradecem.

Uma apólice bem escolhida também vai te proteger em outros casos, como extravio de bagagem, atraso de voo e até cancelamento de viagem, caso você tenha uma emergência e precise voltar ao Brasil.

Formulário 6059B Customs Declaration

Esse formulário é entregue dentro do voo em direção aos Estados Unidos.

Chamado Formulário 6059B Customs Declaration, é basicamente um documento da alfândega, onde você deve preencher seu nome, data de nascimento, passaporte, número do voo, país de residência, possíveis escalas antes de chegar nos EUA, endereço do local que ficará nos EUA (vale colocar o nome do hotel e a cidade) e por fim o objetivo da viagem.

A ficha também trás uma série de perguntas com opção “sim” ou “não”, sobre a quantidade de dinheiro que você trás, as mercadorias, alimentos e outras coisas proibidas que possam estar na sua mala. Se quiser se adiantar e estudar o assunto, o formulário completo em português está disponível no site da U.S. Customs and Border Protection.

Passagem de volta

É recomendável viajar já com a passagem de volta comprada e ter o documento com você, impresso. Não só a imigração pode te pedir o bilhete, como a empresa aérea pode cobrar, no momento do check-in. O mais importante é comprovar que você está viajando para fins turísticos e educacionais e não tem intenção de permanecer no país ilegalmente.

Se você está a procura de passagens baratas para os Estados Unidos, sugerimos que procure em sites de buscas para garantir as melhores promoções como: skyscanner.com.br, kayak.com.br, decolar.com, passagenspromo.com.br, google flights, etc.

Comprovante de hospedagem

Outro item que você provavelmente não terá que mostrar na imigração, mas convém ter por perto, caso o oficial resolva pedir. Por isso, emitiremos uma carta-convite, apenas por precaução. Os Estados Unidos não consideram a carta convite um documento oficial, de forma que não há necessidade de registrá-la.

Comprovantes financeiros

Apesar de não existir um valor mínimo para entrar nos EUA, não recomendamos desembarcar sem dinheiro em espécie ou comprovantes financeiros que comprovem que você tem condições de arcar com todos os gastos da sua viagem. Qual uma quantidade mínima razoável? Cerca de 60 dólares por dia de viagem, pelo menos.

O valor pode ser comprovado não só através de dinheiro, mas com cartão de crédito e saldo bancário. Atenção também para o limite máximo: quem transporta mais de 10 mil dólares em espécie precisa declarar isso para a alfândega norte-americana. Quem não faz pode ter o dinheiro apreendido e ainda responder um processo.

Carteira de motorista internacional

A Permissão Internacional para Dirigir (PID) está para o viajante assim como o título de eleitor está para todo brasileiro: ela raramente é pedida e em geral você pode dirigir fora do Brasil apenas com sua CNH válida mesmo, conforme estabelece a Convenção de Viena.

Fora que, mesmo caso você tenha a PID, não basta viajar apenas com ela – tem que levar também a CNH brasileira, já que o documento internacional não tem valor sozinho.

DESEJAMOS UMA ÓTIMA VIAGEM E ESTAMOS ANSIOSOS POR SUA CHEGADA.